terça-feira, julho 03, 2007



Quinta do Couquinho (T) 2003

Este foi um daqueles tintos que sempre agraciou alguma fama entre os novos vinhos do Douro. Certamente pelo facto de ter sido uma das quintas inseridas no projecto "Lavradores da Feitoria". Certamente porque a enologia é de João Brito e Cunha.

A colheita é de 2003 e pensámos que o tempo de garrafa que levava já era suficiente. E neste aspecto acertámos! O calor daquela "terra longe" marca o vinho com notas intensas a fruto no nariz. Mas, ao invés da maior parte dos tintos do Douro Superior, este está macio e calmo. Casca de árvore, móvel antigo, referências num bouquet quase apaixonante e de clara tendência hedonística.

Pena não se poder dizer o mesmo da boca. Interessante, redondo, por vezes cheio, mas não estimula o palato, e no meio da boca (como que) já terminou. Quase plano este tinto, que tanto prometia no nariz...
*
Em todo o caso, um vinho interessante e curioso, que se destaca dos seus congéneres do Douro Superior (em prova cega diríamos ser do Cima Corgo), mas nem sempre pelas melhores razões. Cabe estar atento à colheita de 2004 e a um novo reserva.

15,5

2 comentários:

Anónimo disse...

Boa tarde,

Provei este vinho pois tinham-me dito maravilhas. Achei uma desilusão e concordo muito consigo.

ZM

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Caro ZM,

Obrigado pelo seu comentário.

Achei curioso ter muita fruta, o que nem sempre acontece com alguns douro-superior (que tendem a ser mais rústicos).

Penso que já saiu o 2004 e, em breve, sairá um reserva.

NOG