quinta-feira, julho 06, 2006

Gouvyas Reserva (B) 2003


O dia (ou melhor, o final do dia) era de jogo decisivo para a nossa selecção de futebol. Na mesa, uma cataplana (pimentos, muito tomate, louro, alho e cebola, vinho branco, etc) de tamboril, fresquíssimo. Mas o que beber? Um branco de certeza! Mas, certamente, não um branco qualquer. Tirámos a garrafa do frigorífico, pouco depois saltaram os copos do armário.
Como o jogo não corria de feição, escolheu-se um branco que sabemos não nos decepcionar nunca; afinal, tínhamos que fazer um esforço (!) para "salvar" a noite.
Na cor surpreende um amarelo tão palha quanto brilhante, chega a ser difícil de acreditar – longe dos tons sombrios que o excesso de barrica pode provocar.
No nariz, curiosamente ainda fechado, é reduzido de aromas, tímido, mas com muita personalidade com notas subtis florais e mais intensas de abacaxi. Se apurarmos totalmente o olfacto ele “diz-nos” tudo o que, de seguida com o primeiro gole, iremos desfrutar. Um branco elegante, delgado mas marcante, com peso e frescura (o que não é fácil de encontrar). E que belo final! O João Roseira que me perdoe o excesso, mas é um branco perto da estampa. A menos de €17. Bom + (16,5).

3 comentários:

João Barbosa disse...

e o que eu gosto deste vinho!...

joaoRedrose disse...

Nuno,

atão, pelo rótulo, bebeste tinto por branco? :-)

fica-me mal dizer, eu sei, mas gosto muito deste Gouvyas Reserva '03. Pena o Douro não ser bem à beira mar, para me mandar também para una kataplana!

saludos
joão

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Epá, não tinha imagem do rótulo do branco...e usei a do tinto. Só tu é que reparaste (claro!).

Marcamos uma cataplana sempre que quiseres e estiveres por aqui...

Saludos

N.