domingo, Julho 16, 2006

Preta (T) 2004


Duas mesas ocupadas… a nossa, e a do anfitrião Filipe Gaivão com a respectiva família. Segundo o Filipe são assim as sextas-feiras com calorzinho, toda a gente a jantar na esplanada (olhai os mosquititos!). Nada que me importe, pois havia conversa a por em dia.
Para acompanhar a empada de perdiz (antes tinham ido já uns pitéus), fomos para mais um projecto alentejano de Estremoz, o Preta (T) 2004 – o topo de gama da recentemente constituída sociedade Fita Preta, segundo nos informam.
Confesso que já estou um pouco saturado deste "novo mundo regional alentejano". A culpa não é, obviamente, dos vinhos isoladamente considerados – muitos deles bem bons! – mas desta mania, consciente ou não, pela uniformização. Por mais que se tente, alguns dos novos vinhos do Alentejo (sobretudo de Estremoz e de Albernoa) sabem "muito ao mesmo". Mesmo quando a sua composição é inesperada, como sucedeu com este Preta: Touriga (52%) e Cabernet (48%)!
Neste caso, no copo, mostrou uma cor rubi-violeta ligeiramente concentrada. Nariz intenso, químico, com um ataque a fruta madura a lembrar (aí está, aí está…) outras provas! Na boca teve mais graciosidade, com a Touriga a dar um toque floral muito interessante. O Cabernet é que parece ter ficado para segundo plano, sobressaindo mais a madeira, num conjunto redondo e macio.
Um vinho bem feito, sem arestas (como se escreve por aí), disto não temos dúvidas – veja-se a ligeira acidez mentolada e o final médio/longo – mas, a meu ver, pouco original.
Bom (15,5).

6 comentários:

Pingus Vinicus disse...

Olá Nuno, pessoalmente não gostei muito do vinho. Um estilo que começa já a cansar. Enfim...
Rui

Nuno de Oliveira Garcia disse...

É como eu!!! Sintonia! É sempre interessante dois "amadores" terem opiniões idênticas.

1 Abraço e continuação de melhoras da tua mulher.

N.

Pingus Vinicus disse...

Actualmente sou confrontado com muitos vinhos em que a carga química, a extracção é muito elevada. No género do Preta estou a lembrar-me do Inevitável.

São vinhos que impressionam, que no ataque inicial parecem cativar, mas com evoluir, acabam por cansar. O Registo é sempre o mesmo.

Estilos de vinhos que destróiem o palato completamente.

Nuno de Oliveira Garcia disse...

E que não ajudam nada uma combinação com comida. Verdad?

Anónimo disse...

Keep up the good work long dress in maternity plus size Stars and stripes watch

Anónimo disse...

Excellent, love it! provigil withdrawls Seattle boating classes provigil show on drug test Losing weight in your 20&aposs best large format fuji laser printer Tennis panies Baltimore oriele baseball tickets buy online vicodin Eyeglasses frame selector Boating world magazine subscriptions Pay per click marketing promotion strategy ppc