segunda-feira, abril 28, 2008

*
A certeza do engano
*
Antes foi o Syrah da casa Ermelinda Freitas, agora o Herdade das Barras. Ambos premiados em concursos. O primeiro nunca o provámos. O segundo sim, num painel com 16 tintos e ficou muito bem posicionado. Contudo, em ambos os casos, a mesma certeza – se há notícias que fazem vinhos "de um dia para o outro" (é o caso da especulação medíocre a que se assistiu nas últimas semanas), há notícias que desfazem vinhos com a mesma rapidez (já se sabe, a exigência sobe e a qualidade não). Nós, se alguma vez nos apetecer um dos referidos vinhos num restaurante, teremos certamente de perguntar três, não pelo menos quatro vezes, o seu preço para saber se nos estão a enganar, e qual o quilate do engano. E a certeza desse facto (ou seja, a certeza do engano), por mais ténue e breve, é muito desagradável!
*

2 comentários:

Pedro Sousa P.T. disse...

Sim é verdade. Ainda no último programa A Hora do Baco, a "SrªFreitas" afirmou que já estavam a ser comercializadas caixas deste vinho a 600€. Incrível, não é? Sim, porque ainda à pouco tempo encontravam-se todos os monocastas desta casa no Jumbo a 8,50€.
Já agora porque não fazer uma mega campanha de markting pelo Syrah da Adega de Pegões, que é já ali ao lado, e as garrafas são bem parecidas? :) Se calhar os Administradores da Adega de Pegões, ainda não se lembraram desta...
Um Abraço

Nuno de Oliveira Garcia disse...

De facto, as garrafas são muito parecidas (demais até para vinhos da mesma região).

O problema é que quando se fala de um vinho, só se fala nesse vinho e não de outros da mesma região, do mesmo produtor, da mesma casta, enfim... O que é dramático e leva a que os produtores obriguem a compra de outros vinhos para se poder comprar o premiado (eg., só se venda 10 caixas de Syrah a quem comprar 5 de touriga e 5 de Quinta Mimosa).

Nuno