quarta-feira, maio 02, 2007

Três Bagos Sauvignon (B) 2005


No regresso da iniciativa "Prova à Quinta", na qual os blogs e "comentaristas" enviam as suas provas na sequência de um desafio, a minha escolha foi para um dos meus brancos favoritos (o desafio do amigo Pingus era a prova de um vinho branco extreme).

Nariz a maracujá num conjunto tropical. Boca elegante, leve e suave, com notas alegres a groselha verde. Tem um lado vegetal muito bem integrado num conjunto que termina com um final citrino intenso.
Desde há uns bons anos para cá que se impõe como a melhor escolha preço/qualidade nos brancos nacionais (para prova da colheita de 2003 ver aqui). Nada pesado na boca, é todo ele prazer. Um sauvignon de muito bom porte e de preço razoável (a menos de 13 €) para tanta qualidade. Directamente de Mateus (Vila Real) - onde os ventos nocturnos frios permitem tanta frescura vinícola - para a nossa mesa.
Para mim, melhor sauvignon blanc só noutras latitudes e mais caro.
17

3 comentários:

Chapim disse...

Caro Nuno, para mim é também uma das grandes referência dos brancos nacionais. No meio de outros (felizmente cada vez mais...)belos brancos nacionais este salta pela sua frescura e tropicalidade. E também o acho uma boa relação RQP. Curioso é o facto de o associar (confesso q não sei bem porquê)ao Verdelho Colecção Privada DSF 2006. Boas provas!!

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Amigo Chapim,

Penso que existem várias razões para ambos associar ambos os vinhos: 1. são leves e frutados mas não desinteressantes ou demasiado fáceis; 2. são um exemplo de modernidade nos brancos com a sua enorme frescura; 3. têm um preço justo... e mais razões certamente.

Um abraço,

N.

Kroniketas disse...

Próximo desafio lançado nas Krónikas Vinícolas.