quinta-feira, maio 17, 2007

Dona Berta Reserva (T) 2004


O denominado Menu do Paço de primavera do restaurante "Terreiro do Paço" (Lisboa) mostra bem o fascínio do chef Vítor Sobral para com produtos nacionais: 2 pratos de bacalhau (um carpaccio com pasteis de mandioca, outro em lombo com compota de tomate), cherne no forno e pintada confitada com goiaba no forno e pinhões.
A bem de ver... a escolha de um vinho não era tarefa fácil. Para não se pedir diversos vinhos (ou vinhos a copo), a harmonia de um só vinho com a maioria dos pratos era obrigatória. Neste difícil contexto, o Dona Berta Reserva (T) 2004 foi valente!

Cor vermelha rubi muito viva, bonita mesmo de tanta alegria. Nariz intenso a flores, de cariz muito jovem e intenso. Na boca, concentrado e focado num travo "blendado" entre flores e fruto vermelho. Madeira ligeiríssima, hesitante... a descobrir e encobrir novamente (mais na boca, menos no nariz). Seco, concentrado, mostra ter taninos bravos e anos pela frente. Final discreto que, contudo, não desaponta.
Não é um douro de topo, nem de perfil moderno. Mas mostrou-se uma escolha imaculada numa mesa difícil, e este é – a meu ver – dos melhores elogios que se pode fazer a um vinho.

17

3 comentários:

VinhoDaCasa disse...

Desafio no Vinho da Casa. Nova Prova a Quinta.

http://vinhodacasa.blogspot.com

Nuno de Oliveira Garcia disse...

E sobre este Dona Berta..?

Pingus Vinicus disse...

Nuno, Um belo vinho. Gosto muito do branco. São ambos vinhos contra corrente, muito amigos da mesa.