terça-feira, dezembro 09, 2008


"Retaste" 3:

Evel Grande Escolha (T) 2003

Mais uma prova de um vinho que já não provávamos faz algum tempo e foi logo a vez de um dos tintos favoritos dos enófilos iniciados, e não só! E esta prova demonstra bem que existem muitas razões para o seu sucesso. Desde logo o preço, estável e não especulativo, depois o facto de não ser preciso andar de loja em loja à procura pois é de fácil acesso e, por fim, porque é bom e evolui bem. Bem sabemos que só passou meia década desde a tórrida colheita de 2003, mas também é verdade que já vimos evoluções "estranhas" em alguns durienses... No caso deste Evel GE tudo isso passou ao lado e está, numa palavra, interessantíssimo, talvez até mais do que na prova anterior (ver aqui).
*
Mantém uma cor cereja escura, mas agora com mais transparência no bordo. O nariz perfumado mantém-se focado na fruta mas a típica madeira nova já está a caminho da total integração, carácter ainda fresco com leve menta (na prova anterior as sugestões eram também balsâmicas). Boca muito capaz, mantém-se naturalmente arredondada, com fruta de qualidade e nada monótona. Final de boca que prima pela elegância mas a faltar alguma extensão. Em suma, (mais) um belo Evel nem belo momento de forma.


17

2 comentários:

Anónimo disse...

mas um 2003 é um retaste???????

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Pretendemos que as provas "retaste" sejam apenas uma nova prova de um vinho que faz algum tempo que não provávamos. Este Evel GE 03 não o provávamos fazia ano e meio, o que, de facto, pode não ser muito tempo, mas é algum.

Tentatemos, todavia, que se prove vinhos mais vinhos com mais idade e tempo de garafeira.

Obrigado pelo seu comentário.

NOG