quinta-feira, abril 19, 2007

Dois alicantes...


A casta alicante bouschet anda a arrasar alguns corações enófilos. Depois de anos sem ouvir falar nesta casta (pelo menos em Portugal), e menosprezada em França, agora está definitivamente na moda entre nós. Seja por se tratar de uma uva tintureira, seja porque se aguenta bem com os calores do Sul, a verdade é cada vez mais vinhos portugueses são feitos a partir desta casta. Bebemos dois exemplares extremes, a saber:

Pegões alicante bouschet (T) 2004: Fruta preta e um carácter rústico dominam a prova deste tinto de bom porte e cor moderna (quase opaca, portanto). Falta-lhe energia e alegria, peca por ser um tinto muito linear à semelhança de outros da região. Bom preço, abaixo dos 7€. 15
Capucho alicante bouschet (T) 2005: Literalmente preto. É um monstro este alicante: nariz reduzido, corpo fresco pelo álcool (15º), notas químicas e fundo balsâmico. Há uns anos atrás este tinto seria "levado aos ombros". Agora, muita gente (já) anda farta deste estilo. Eu vou-me aguentando com este ribatejano, pois dá muito prazer. A menos de 10€. 16

3 comentários:

Copo de 3 disse...

Eles bem tentam mas nada como um Alicante do Alentejo... o resto é conversa.

Nuno de Oliveira Garcia disse...

João,

Não há dúvidas que é do Alentejo que têm saído os melhores alicantes... Mouchão 3/4, Amália Garcia, Esporão, etc...

Abraço amigo,

N.

PS: talvez daqui a uns anos o Ribatejo poderá ter uma palavra a dizer...

Kroniketas disse...

Não há dúvida que é uma das castas da moda. Não há sítio no Alentejo onde não esteja plantado. É como a Touriga Nacional e o Syrah. Mas isto das modas acaba sempre por passar. Há uns anos era o Cabernet Sauvignon, que depois começou a decrescer. Quando começarem a verificar que os vinhos ficam todos iguais se feitos com as mesmas castas, pode ser que resolvam voltar às tradicionais Aragonês e Trincadeira, que continuam a dar cartas e a ser, quanto a mim, os grandes emblemas da região.