quinta-feira, novembro 02, 2006

Tanha versus Versus

A missão envolvia o ataque a um cozido. Escolheram-se dois soldados que sabíamos, de antemão, serem jovens, competentes, e com características diferentes. Ao invés da famosa tática "um a seguir do outro", optou-se pela menos difundida "um juntamente com o outro". E foi assim que se provou, de uma assentada, um Calços do Tanha (T) 2004 e um Versus (T) 2004.
Sobre o duriense importa esclarecer que foi tudo o que imaginávamos, não foge em nada ao estilo que casa nos vem habituando. Fruta madura, vinioso, tatinos redondos, final guloso e a Tinta Roriz como protagonista. Esteve certeiro quando chegou a sobremesa e antes de abrirmos um Porto "Quinta do Junco Borges 1984". Já o senhor da Beira Interior, de fama súbita reconhecida nos blogs (por exemplo aqui e ali), foi mais gastronómico, fresco mas com concentração, de sabor franco, acidez cativante e com taninos irrequietos. Quando o chispe ameaçava encher demasiado o bucho, lá se bebia um pouco de Versus e o apetite voltava a ter vida. Ideal, portanto, para acompanhar a pesada refeição. Pena o final médio/curto.
Ambos os vinhos beberam-se muito bem e reconheça-se a sua óptima relação preço-qualidade. Em suma, estiveram os dois com um nível Bom (16).

3 comentários:

João Barbosa disse...

é sempre um prazer ler-te sobre vinho e comida. é o que faz escrever sobre o que se gosta.

Nuno de Oliveira Garcia disse...

João, obrigado pelo teu simpático comentário. É o faz escrever sobre os amigos.

Um forte abraço,

N.

Pingus Vinicus disse...

Eu gostei muito do Versus. Mas é engraçado as opiniões que tenho lido sobre ele.