sábado, janeiro 26, 2008

Frescos no frio

Para os friorentos, como eu, o frio é das sensações mais desagradáveis que existe. Chegamos mesmo a odiar o frio. A única vantagem do frio é que nos faz apetecer comidas quentes e fortes e, com isso, tintos de respeito, encorpados e poderosos. No Inverno temos soluções românticas como a lareira ou as salamandras, e outras mais modernas como o célere ar condicionado e os eficazes aquecedores de vária ordem (os a gás é que aquecem a sério). Também existem recuperadores de calor, e mais uma panóplia completa de electrodomésticos à venda com o mesmo fim.

Pois bem, com os aquecedores ligados no máximo, o calor volta a casa, e logo a vida regressa lentamente ao corpo. E é nestes momentos que vem o prazer sublime de beber um vinho tirado do frio. Pergunto-me se existirá maior prazer, no que toca a vinhos, do que beber um branco ou rosé bem fresquinho no calor da casa, e olhando pela janela contemplar lá fora um Inverno rigoroso.

Assim, ficam aqui duas sugestões para acompanhar o calor da casa neste Inverno de Janeiro: o Sães (R) 2006, um rosé seco, pouco exuberante mas muito fino e de complexidade significativa (merecedor de 15 valores), e o Soalheiro (B) 2006, um alvarinho de cetim que dispensa apresentações e que, segundo a tradição das colheitas anteriores, muito melhora em garrafa, por vezes num período que chega aos cinco anos (e que, também por isso, leva de nós 16,5 valores).
*
À vossa
*
Saúde !

3 comentários:

MANUEL HENRIQUES disse...

Caro Nuno Garcia,

Estou maravilhado em verificar que não só na fiscalidade o caro amigo dá cartas.

Vou ficar fiel do seu blogue.

Um abraço

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Caro Manuel Henriques,

Muito obrigado pelas suas palavras! Fico muito contente em vê-lo por aqui, bem como saber que é activo nesta vida dos blogues.

Um forte abraço,

Nuno Oliveira Garcia

Wine Connections disse...

Grande vinho este alvarinho, também já comprei as minhas caixas cá para casa. E tem piada pois envelhece bem.

Bom blog, parabéns. Bem estruturado e com provas nada óbvias.
Estou também a começar um, mas estou a tentar fazê-lo em português e inglês. diz-me o que achas.