quarta-feira, setembro 13, 2006

Quinta do Vale da Raposa Grande Escolha (T) 2000


O produtor Alves de Sousa já me deu grandes motivos de prazer. Os seus "Quinta da Gaivosa" (hum... o de 2000) foram responsáveis por momentos fantásticos que guardo bem presentes. Porém, os da "Quinta do Vale da Raposa" sempre me pareceram demasiado terrosos, por vezes mesmo acres. Foi o aconteceu com este tinto Grande Escolha de 2000.
Na cor demostra sinais, evidentes, de evolução, um tom cereja com laivos de tijolo. O nariz está bem, potente com elegância, mas uma suave percepção áspera vai avisando "ao que vínhamos". É que a boca está muito presa, alguma fruta mas escondida por um travo a terra húmida que não consigo apreciar. Notas herbáceas em quantidade exagerada. Pode ter sido problema da garrafa. Poucas palavras para o final, posto que era longo, mas a mim só alongava a decepção.
S/n
PS - Tenho pena não ter gostado do vinho. Tenho uma óptima impressão do produtor (e do filho Tiago) e dos seus vinhos. Bom... com a excepção deste! Estou em crer, todavia, que tenho de dar uma outra oportunidade, pois adorei o Quinta da Gaivosa. Assim, irei provar uma outra garrafa e, por isso, não atribuo, para já, nota.

6 comentários:

Pingus Vinicus disse...

Amigo Nuno, ao pegar neste vinho fizeste-me recordar as experiências menos positivas que tenho tido com alguns vinhos de Domingos Alves de Sousa.
Não é a primeira vez que, em provas cegas, o Quinta do Vale Raposa Grande Escolha e até mesmo o Quinta da Gaivosa caiem para os últimos lugares.

Pessoalmente arranjo sempre duas desculpas: problemas de garrafa ou o amadorismo, a falta de técnica na prova que a minha pessoa tem.

Abração

Copo de 3 disse...

Teria sido uma boa ideia teres provado a outra garrafa e não teres dito nada desta, ou atribuis uma nota e depois rectificas ;)

Nuno de Oliveira Garcia disse...

João,

Obrigado pelo comentário.

N.

Copo de 3 disse...

E não é que me esqueci de falar do vinho... com esta coisa do meter o código foi-se um bocado do texto.

Adiante, queria dizer que com este vinho o Vale da Raposa Grande Escolha no meu caso o 1999 a coisa foi muito parecida com a tua, digamos que o vinho foi uma desilusão para quem o provou naquela noite e nem com decantação ele mudou. Evoluiu mal ? Fase má da evolução ? As condições de guarda foram as que sempre tiveram as outras garrafas, digamos as ideais e não me parece que seja por abrir outra garrafa que o vinho esteja melhor, mas pode acontecer.

Anónimo disse...

Hmm, é curioso ler essas vossas impressões pois ao provar um Grande Escolha do Alves de Sousa, no caso o de 1998, o vinho também se apresentou demasiado evoluído e sem a pujança que todos os da sua autoria mostram enquanto jovens. E também só me convenci de que o vinho era
mesmo assim à segunda garrafa...

Anónimo disse...

Boa noite,

Desculpem meu português ruim, mas eu venho do Québec (Canada) e faiz tempo que nao escrevi nessa lingua.

Provei o Grand Escolha 2000 hoje, e o vinho me parace ter uma boa evoluçao. Aqui esta o meu commentario em Inglès (mais facil para mim!):

Dark garnet colour at the core, showing a bit of age at the rim as well as some sediments. The aromatic profile is beautiful, at once fruity, nutty as well as showing a nice spicy character, very mellow and charming. On the palate, good balance between fruit caracter (morello cherry), soft tannins, fine acidity, decent body but already showing signs that the wine is ready for drinking. The finish is a bit short, but it is pleasantly perfumed. Softness and elegance rather than power and grit.


Olivier Collin
The Wine Addict
www.thewineaddict.com
ocollin@thewineaddict.com