terça-feira, agosto 08, 2006

Revisitações:

  • Quinta dos Carvalhais Encruzado (B) 2003 - Foi decantado e novamente introduzido na garrafa. Mantém-se muito interessante (ver prova anterior aqui), um branco de referência. O primeiro impacto olfactivo é de calda de ananás, está mais doce do que a prova anterior. Só depois surge o toque mineral que aguardávamos. Mantém-se fresco, mas o nível de acidez da prova anterior é coisa quase do passado, por isso não hesite em bebê-lo já, ou durante 2007. Bom (16).
  • Quinta do Infantado (T) 2002 - Vinho bom de um ano mau... Continua a mostrar uma bonita cor e mantém-se fácil de beber (ver referência anterior aqui): tem complexidade, não sendo hesitante nem tímido. Notas a bagas vermelhas e alguma especiaria no final (merecia, aliás, um final mais longo e incisivo). Na minha opinião, ainda pode evoluir favoravelmente mais um ou dois anos. Bom - (15,5)
  • Adega de Pegões Trincadeira (T) 2004 - Este tinto ainda está "para durar" mais uns 3-5 anos, mas já se encontra pronto a beber (ver sugestão anterior aqui). Apesar de ser monocasta, a Trincadeira está "marcada" pelo terroir das "Terras do Sado". É um vinho jovem, quente, com singelas notas florais e a fruta vermelha. A madeira continua demasiado evidente. Bom - (15)

2 comentários:

Leonardo De Araujo disse...

Nuno, estou dando uma geral nos blogs de vinho. Em língua portuguesa é impressonante como há poucos brasileiros.
Tenho interesse especial nos vinhos brancos e, claro, nos Verdes portugueses.
Vou acatar a sugestão e irei em busca do Soalheiro.
Que tal dar uma olhada no meu blog:
Viva o Vinho!

Um brinde!

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Caro Leonardo,

Tenho muitos e bons amigos no Brasil. Seja bem vindo aos "enoblogs".
Prove também o "Deu-la-Deu 2005" um estilo de verde mais clássico e, porventura, mais apto a um clima quente.

Abraços,

NOG