quinta-feira, maio 22, 2008


Quinta das Marias Encruzado "Barricas" (B) 2006

Nem o ano quente de 2006, nem a escassa produção de 1200 garrafas, impediu que este branco tivesse uma enorme (e merecida) recepção pela comunidade enófila. Se a versão sem madeira primava pela imediata frescura, esta versão com barrica inicia-se com os aromas típicos da passagem pelo carvalho como as referências a café expresso. Tal não impede, todavia, que momentos depois de ser vazado no copo seja a mineralidade habitual da casta do Dão a mostrar o seu valor, terminando com um final cheio e redondo onde amêndoas e nozes disputam a liderança. Aliás, a barrica parece adaptar-se bem ao encruzado, sobretudo com o tempo em garrafa (2 anos parece-nos razoável) e com arejamento através do uso de um decante.

Temos aqui um branco que não se mostra nem fresco demais para o Inverno, nem demasiado pesado para o Verão… é, por isso, um mimo que pode ser bebido em muitas ocasiões. Ah, nem é demasiado caro, a menos de
€ 15 a garrafa, o que se agradece. Para quem não dispensa a opinião de Parker e seus amigos, diga-se ainda que este branco recebeu 90 pontos na Wine Advocate (prova de Mark Squires).

17
*
PS: A versão sem madeira mereceu 91 pontos na Wine Advocate, tendo o crítico Mark Squires jurado que o vinho tinha madeira uma vez que era muito redondo e gordo. Afinal, não somos os únicos a ser enganados por vinhos brancos...


Próximos vinhos: Quanta Terra Grande Reserva (T) 2004; Brunheda Vinhas Velhas (T) 2001; Quinta da Sequeira Grande Reserva (T) 2004

2 comentários:

Copo de 3 disse...

Há quem perca tempo nesses mexericos do tem não tem... e depois há quem goste de provar e beber bons vinhos.

Abraço

Nuno de Oliveira Garcia disse...

É bem verdade, meu caro. E só quem prova e bebe muito é que sabe deixar de dar valor aos mexericos.