quarta-feira, janeiro 24, 2007

Carmim Aragonês (T) 2004


Cor rubi escura, aureola clareada e muitos indícios de falta de concentração. Nariz com referências obvias à casta mas tudo muito limitado. Na boca está muito fraco, fruta monótona, sem qualquer intensidade e alguma madeira queimada enjoativa. Corpo inexpressivo e um final... mas qual final?
Um vinho que faz lembrar algumas "coisas" que já não provava faz tempo. Com este vinho a Adega Cooperativa de Monsaraz recua anos em termos de qualidade ("não havia necessidade"). Uma vila tão bonita merece melhor vinho! Vale o carácter aromático no início de prova para o salvar de uma nota mais próxima da negativa.
A menos de 5 €, mas não se recomenda a compra.

13
PS - A foto foi pedida de empréstimo ao Pedro, ao qual agradecemos.

12 comentários:

Copo de 3 disse...

Recomendo que proves o Aragones de São Miguel dos Descobridores, da Herdade de São Miguel... Alentejo - Redondo.
Pelo mesmo preço penso que podes ter uma bela surpresa :)

Nuno de Oliveira Garcia disse...

João, obrigado pela dica. Ainda não provei esse aragonês, mas vou colocar na minha lista. Acredita que gosto bastante de algum aragonês do Alentejo, o "Herdade do Monte da Cal" por exemplo.

Um grande abraço,

N.

PS - Temos que nos encontrar em Lisboa. Diz quando te der jeito.

Copo de 3 disse...

Ok Nuno fica combinado... esse Aragones do Monte da Cal é aquele que é da Dão Sul ?
Onde se compra ?

Abraço

Kroniketas disse...

Estranho. Este Aragonês eu conheço-o praticamente desde o seu lançamento, e sempre me deixou encantado. Tinha um perfil que não se enquadra nada nesta descrição. Nos últimos tempo não tenho bebido deste. Será que mudaram as características do vinho, foi um ano mau, ou era a garrafa que não estava no seu melhor?
Estranho, de facto. Mas às vezes ele há coisas...

Nuno de Oliveira Garcia disse...

João,

É esse mesmo. O problema é que não é fácil de se encontrar. As últimas garrafas que comprei foi na Garrafeira Veneza no Algarve, longe portanto.

Vou ver se descubro onde se compra em Lisboa.

Abraços,

N.

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Amigo Kroniketas,

Não sei o que se passou... não me agradou nada. Se vieres a prová-lo diz depois o que achaste deste 2004. Também tenho ideia que os anteriores eram simpáticos, mas este...

Não me parece verosimil o problema da garrafa, pois o vinho estava franco com sinais de que estava "vivo", mas é fraquinho.

Um forte abraço,

N.

Copo de 3 disse...

Para não dizer que desta Coop anda tudo muito muito fraquinho.

Saudosos Garrafeira dos Sócios e Cabernets de 97

Nuno de Oliveira Garcia disse...

É verdade! Em tempos bebia-se uns bons "garrafeira dos sócios".

N.

Copo de 3 disse...

E não me podia esquecer dos primeiros varietais, já mencionei o cabernet mas não me posso esquecer do Trincadeira, principalmente do 1999, um dos grandes Trincadeiras do Alentejo.

Nuno de Oliveira Garcia disse...

João,

Esse cabernet nunca me passou pela guela. Já o trincadeira penso que o provei, mas não me lembro da prova (o que é bom sinal, geralmente lembro-me daqueles que não gosto).

Um forte abraço,

N.

Anónimo disse...

Viva!

A fotografia apresentada é-me familiar não?

:)

Abraço!

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Pedro, tens toda a razão! A foto é tua e vou dar-te os créditos disso.

Quando tu escreveste sobre ele tirei a foto pois não tinha nenhuma. Semanas mais tarde esqueci-me que era tua.

Um abraço amigo,

N.