terça-feira, maio 18, 2010

Provas


Bétula (B) 2008

Temos aqui um branco duriense que, tudo ponderado, vive de uma "tensão dialéctica" entre duas castas francesas de grande personalidade, sem que, contudo, o resultado dessa dialéctica seja, a nosso ver, uma grande mais-valia para o nosso país vinícola. Referimo-nos à tensão que se verifica entre o fruto maduro e de caroço típico do Viognier (sobretudo na prova de boca) e a maior exuberância tropical do Sauvignon Blanc (na prova de nariz).

Inevitavelmente, quanto mais fresco for servido e provado, melhor sai o conjunto devido à (alguma) secura e fruta viva proporcionada pela casta de Bordéus e de Loire. Pelo contrário, quando a temperatura aquece no copo, logo vem a untuosidade, tantas vezes excessiva, da casta branca de Côtes du Rhône, e o vinho ressente-se.

Um branco que precisa, a nosso ver, de uma maior acidez que permitisse um equilibro mais certeiro entre frescura e doçura da barrica. Uma vez que se apresenta com algum peso, essencialmente na prova de boca, recomendamos para dias invernosos. Em todo o caso, não deixa de ser um vinho branco enologicamente bem feito e cujo principal atributo talvez seja o seu carácter pedagógico de permitir explorar sensorialmente, de uma só assentada, duas castas muito em voga no plano internacional.

Não sendo o melhor branco no mercado, muito menos um branco apto para acompanhar peixes e mariscos grelhados (longe disso...), será certamente amigo de uma salada de carnes brancas podendo revelar aptidão gastronómica nessa combinação.

15,5


Próximas provas: Dom Cosme Reserva (T) 2006; 2 Castas (B) 2009; Alento (T) 2008; Labrador Qta Noval (T) 2007; Altas Quintas Mensagem de Trincadeira (T) 2007; Cistus Reserva (B) 2009

6 comentários:

Raul Carvalho disse...

E continue a tensao dialética...

Olha, já agora, peço que troques o link do Wine Sensations por o link do blog Vinhos da Semana

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Caro Raúl,

Já está!

Um ab.

NOG

Rui Lourenço Pereira disse...

Conseguiste dar 15,5???

Há qualquer coisa neste vinho que não me agrada. O Francisco costuma fazer coisas muito melhores do que o Bétula representa. Alguma coisa aconteceu.

j... disse...

Gostei muito dele quando o provei em Novembro último. Aliás, lembro-me de o encontrar marcadamente fresco, o que muito me agradou. E agora, de alguma forma, aparenta ter envelhecido anos..

João de Carvalho disse...

Provei 3 garrafas deste vinho, todas elas junto de colegas aficionados ao vinho, em nenhuma das ocasiões o vinho chegou sequer a ser aclamado de interessante.

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Meus caros,

O vinho não é perfeito. Parece-me algo pesado, pelo menos nesta fase. A opção pelas castas é também ela radical, mas talvez tenha esse mérito, de colocar-nos a falar sobre ele tantas vezes.

Abs. a todos,

NOG