terça-feira, outubro 30, 2007


Novidades e mais novidades

» Doudão (T) 2005: É o novo "Dado" e talvez esteja melhor do que nunca: muita cor, fruta e acidez no ponto. Para beber já é preciso estômago forte e comida a preceito, mas não temos dúvidas que irá melhorar em garrafa. (16,5-17)

» O Mouro (T) 2005: É um regresso de um vinho com uma história muito curiosa. Resumindo em pouquíssimas palavras: Viegas Louro não gostou de um determinado lote da colheita de 2000 - achou-o "verde e ácido" - e Dirk Niepoort, depois de o provar, comprou-o todo e comercializou-o com a chancela O Mouro. Desta feita, em 2005, Dirk teve intervenção directa na produção do vinho e o resultado está bem à vista: um dos vinhos do Alentejo com menos perfil alentejano… seco, directo, menos guloso que o habitual mas muito gastronómico e já a demonstrar complexidade. Um vinho que prima pela curiosidade e pela mais que certa adaptabilidade à mesa. Muito interessante, a conhecer sem falta! (16,5-17)

» Esporão Private Selection (T) 2004: É o regresso ao mais alto nível do estilo presente na colheita de 2001 (e que 2003 interrompeu com um estilo demasiado frutado). Um vinho muito sério onde a fruta e as notas da barrica se fundem na perfeição. É um vinho que impressiona e é incontornável para qualquer enófilo. (17,5-18)

6 comentários:

Pedro Guimaraes disse...

É mesmo verdade que o DADO mudou de nome para...DouDao!!??
Que triste ideia, nao gosto nada. Ainda por cima DADO era um nome tao conseguido...acho até surpreendente de quem o produz, sempre com imagem tao cuidada.
Mas se calhar sou so eu que penso assim....

Abracos
Pedro Guimaraes

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Pois é meu caro Pedro.

Ao que parece, o nome "Dado" era propriedade de uma grande empresa que vinha cedendo o uso do nome ao A. Castro e ao D. Niepoort até... agora.

Posso adiantar que o Dirk Niepoort não parece aborrecido, e até diz que assim melhor se identificará ambas as regiões (Douro e Dão).

Já agora, é um apreciador do estilo?

Pedro Guimaraes disse...

Eu so bebi ate ao 2003 e sinceramenete gostei...bons vinhos, estruturados, feitos para a cave.
O novo nome e bastante infeliz, a meu ver...e pesado e soa a "carrascao" (perdoem-me a expressao). Eu sou sensivel ao nome de um vinho e como parte integrante de uma imagem, este nome nao e apelativo...paciencia!!!
Eu sei que e um pouco um disparate da minha parte, mas eu tendo a comprar vinhos(de topo) com a imagem (nome, rotulo, perfil do produtor) em conta. Nao sei se serei o unico...

Abracos
Pedro Guimaraes

p.s.- teclado sem acentos:)

João Barbosa disse...

ai que se me parte o coração... Doudão é péssimo. O facto é que «aqui» ninguém compra vinho pela marca. abraço

Pedro Guimaraes disse...

Eu tambem nao compro vinho pelo nome, ainda mais porque neste caso conheco os produtores e o produto em questao...mas para um novo consumidor(estrangeiro) o nome se calhar pesa e, este (DouDao) nao pesa nada!!!!

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Mais uma boa questão de facto: como olhará o público estrangeiro a este nome? Será que "Dado" soa melhor do que "Doudão" para um estrangeiro?

N.